Quantas ideias você já perdeu por não terem sido escritas?

 

A sensação de perda é extremamente desconfortável. Todo mundo já deu falta de uma chave e saiu às pressas vasculhando todos os cantos como um marinheiro sem bússola, tentando lembrar a última vez que a viu, com um medo pulsante dela ficar para sempre deixada em um lugar desconhecido.

Mas tudo bem. Chaves, apesar do transtorno, nós sempre conseguimos recuperar. Mas e os nossos pensamentos? Quantas ideias não brotam em nossas cabeças, mas não florescem, por não darmos a devida atenção à elas?

O nosso dia-a-dia muitas vezes é desenfreado, e não nos permite parar e organizar o que pensamos. Mas já pensou em como sua vida poderia ser diferente, se você tivesse tomado atitude sobre alguma ideia grande sua, que teve, há algum tempo atrás?

O mesmo vale para iniciativas pequenas também. A ideia de uma viagem barata e diferente para o final de ano, um presente perfeito pro dia dos pais, ou aquela receita de sobremesa que mistura tudo que você mais gosta, que apareceu no seu feed... Pra onde vão eles, quando os perdemos?

Sabemos que o ser humano é, por natureza, criativo, e que você pode inclusive aprimorar isso. Nós temos uma capacidade inata de relacionar elementos e criar coisas novas a partir dele, e isso não está necessariamente ligado com um lado artístico subjetivo, pois esse recurso é a base de todo e qualquer raciocínio lógico, em que usamos o outro lado do cérebro.

Em outras palavras, somos uma fonte infinita de boas ideias. Entretanto, precisamos aprender a potencializar nossas capacidades. Você pode compôr uma música, criar uma história, desenhar um cenário. Nada te impede, e melhor: a sua natureza te favorece. Tudo isso já está na sua cabeça, você já tem os recursos, da mesma forma que um compositor ou roteirista. 

O segredo está na capacidade de organizar tudo isso. A escrita, por exemplo, é uma forma de eternizar um pensamento. Separar os momentos certos para abrir ou fechar o leque de alternativas e registrar nos lugares adequados as criações, é fundamental. E é importante também que as ferramentas utilizadas te representem, afinal as ideias presentes ali vieram de você. Cadernos minimalistas, com um design premium, muitas vezes funcionam melhor :)

O impacto que podemos deixar através de pequenas atitudes é despercebido. Tudo passa muito rápido, mas todos os dias nos deparamos com novas oportunidades de mudar a vida das pessoas. Uma nova forma de cumprimentar alguém, um novo jeito de organizar seu ambiente de trabalho, uma pequena gentileza com alguém. Tudo isso vale muito. Ideias valem dinheiro, sem dúvidas, mas acima de tudo valem paz e bem-estar para quem sabe tirar o melhor delas.

Somos aquilo que fazemos, mas somos também aquilo que deixamos de fazer.

E você, o que será que tem deixado se perder nos seus mares?

Que nessa semana a nossa criatividade inspire o que há de melhor em nossa humanidade, e nos ajude a criar uma caminhada mais leve.

Boas criações!

Mar. Cadernos  

Deixe um comentário

Observe que os comentários precisam ser aprovados antes de serem publicados